Entenda o que é Sinéquia Vaginal

Olá mamães e papais! Como vocês estão? Espero que bem.

Hoje vamos falar de um assunto que sinceramente nem sabia que existia. Sinéquia Vaginal conhecida como aderência dos pequenos lábios ou fimose feminina. Isso ocorre quando os pequenos lábios da vagina colam apenas uma parte e em casos raros a aderência acontece por inteiro.
Vou contar para vocês como descobrimos que Elisa tinha nascido com esse problema.

Quando Elisa nasceu e eu troquei a fralda dela percebi algo estranho. A vagina dela não era igual a da irmã. Mas pensei que eu estava enganada e poderia ter esquecido como era a genitália de uma recém nascida e afinal a pediatra da sala de parto havia examinado minha filha e não poderia ter deixado passar alguma coisa errada.
Os dias foram passando, em cada troca de fraldas eu pensava que tinha sim algo errado. Mas confiava que a médica tinha examinado a menina inteira. Veio a consulta da revisão, de um mês e eu sempre preocupada com outras coisas que nem pensava em perguntar nada sobre a vagina da minha filha.
Precisamos levar ela em um alergista que por sorte também exerce pediatria. Não precisou mais que alguns segundos de exame para que ele encaminhasse nossa bebê de apenas dois meses a um ginecologista com um laudo escrito "Sinéquia Vaginal". O médico foi muito enfático em dizer que estamos com sorte dela ainda conseguir urinar visto que os pequenos lábios estavam totalmente colados. Ele nos mostrou como os pequenos lábios estavam colados. Eu saí do consultório já abrindo uma página do Google para pesquisar sobre isso.
Cada página que eu abria me perguntava como deixei isso acontecer. Por que não falei com a pediatra quando achei que tinha algo errado? Por que ela não examinou minha filha direito? O que iríamos fazer?
Passamos as duas horas de viagem nos fazendo milhões de pergunta. Quando chegamos liguei logo para meu ginecologista para marcar uma consulta. Por ser um bebê tão pequeno ele não soube me orientar. Esperei o dia da consulta com a pediatra e falei com ela que um alergista de outra cidade viu que a vagina da minha filha estava fechada. Ela disse que era normal acontecer isso e prescreveu um pomada a base de hormônio para passar no local até abrir
Não me senti segura e tentei encontrar na cidade um ginecologista que atendesse criança. Encontramos uma!!! Foram cinco horas aguardando a consulta com uma bebêzinha de dois meses mas valeu a pena. Ele me explicou o que minha caçulinha tinha, como tratar e principalmente como proceder depois do tratamento.

Depois desse longo relato vou passar para vocês tudo que a médica me disse:

O que é?
Sinéquia Vaginal não é uma má formação. Algumas bebês nascem com deficiência do hormônio feminino estrogênio. Costuma acontecer com crianças até 10 anos.

Como identificar?
Na hora de fazer higiene na criança devemos ficar atentos a qualquer anormalidade tais como irritação, vermelhidão. Em alguns casos pode ocorrer dificuldade para urinar. Qualquer dúvida procure o pediatra.

Como tratar?
Alguns médicos aconselham fazer massagem no local por alguns dias para vê se descola. Caso não aconteça é indicado uma pomada a base de hormônio estrogênio. Quem dirá a quantidade de dias é o médico mediante exame.
Existe casos em que se é necessário uma microcirurgia com anestesia local onde o médico fará um corte para separar os pequenos lábios.
Depois que abrir a probabilidade de fechar novamente é grande. É aconselhado em cada troca usar vaselina sólida para evitar que o atrito possa fazer os pequenos lábios colarem.

Usei a pomada durante uns quinze dias. Durante todo tratamento não coloquei body, calça, calcinha nada que pudesse apertar essa região. Depois que abriu comecei usar a vaselina em todas as trocas.

Quero deixar aqui um alerta aos pais de meninas. 

1º Sempre observe cada detalhe da sua filha. Se achar que tem algo errado procure o pediatra;
2º Na primeira consulta com pediatra questione se ele não olhar a vagina da sua filha. Pode parecer invasivo mas garanto que pode livrar de maiores transtornos.

Espero que mais esse relato possa ajudar pais. É muito bom quando vemos que outros passam ou passaram pelo menos que nós.


Leia Mais ››

O que é Paternidade Ativa?

Olá mamães e papais! Tudo bem com vocês?

Hoje vou entrar num assunto bem delicado para algumas famílias.



Muito se fala sobre paternidade ativa. Mas o que é exatamente isso? Os pais estão mesmo a exercendo?

Desde que o mundo existe os pais são responsáveis pelo sustento dos filhos. E as mães? Ah as mães! Elas são responsáveis pelos cuidados e educação dos filhos.

Mas onde entra essa tal paternidade ativa? Ela está presente quando os pais por livre vontade procuram passar tempo de qualidade com o filhos. Transformar a infância deles em lindas lembranças para quando crescerem.

Só que existe dois grandes problemas nesse trajeto.

As mães: Sim as mães teimam em não permitir que os pais cuidem dos filhos. Eles não farão como a gente. Mas o jeito deles não é errado. Apenas diferente do nosso. Podem colocar roupa de sair pra ficar em casa, deixar comer biscoitos na hora do almoço mas é o jeito deles serem país. Isso com certeza está contribuindo para estreitar os laços entre pais e filhos que serão eternos. Então mamães! Vamos confiar mais nos papais e deixá-los livres para cuidar e principalmente sem lista de afazeres.

Os Pais:
o amor incondicional do seu filho não vai durar para sempre. Esse sentimento é cultivado diariamente nas pequenas atitudes.

Vamos entender algumas coisas:
  • Ficar jogando enquanto seu filho mendiga um pouco de atenção não é paternidade ativa.
  • Ficar irritado com cinco minutos de brincadeira e duas crises de birra não é paternidade ativa.
  • Trocar uma fralda, dar uma mamadeira e colocar para dormir uma vez na vida não é paternidade ativa.
  • Pegar seu filho no colo só quando tem alguém por perto não é paternidade ativa.
  • Postar fotos com seu filho em redes sociais não é paternidade ativa.

Sair para trabalhar todos os dias para garantir a comida, roupa e calçado para seu filho não te faz um pai presente ou super herói. Apenas te classifica com pai!

Vamos parar e refletir como estamos aproveitando a infância dos nossos filhos. Estamos construindo boas lembranças para quando forem adultos?

Espero que esse texto sirva como alerta para os pais que ainda não entenderam o quão importante é sua participação ativa na educação das crianças. 

Aguardo todos nos próximos posts
Leia Mais ››

Quando começar o desfralde

Oi gente! Tudo bem com vocês?




Hoje quero falar de umas das fase mais esperada pelos pais. O desfralde. Essa palavra já nos faz respirar aliviados. A economia junto com a independência que ela trás são incomparáveis.

Mas esse momento gera muitas duvidas nos pais. Quando começar o desfralde? Usa penico ou redutor? Sair com ou sem fralda?

Não sou especialista mas vou compartilhar com vocês nossa experiência.

Quando Ester completou 1 ano e 6 meses eu fiz minha primeira tentativa. Sabia mais ou menos o horário que ela fazia cocô e colocava ela no penico. Mas o xixi ela não avisava. Mesmo que insistisse em falar, ensinar e mostrar não resolvia. Percebi que não estava na hora dela de desfraldar. Respeitei e adiei para uma próxima oportunidade.

Quando ela completou 2 anos fiz a segunda tentativa. Mais uma vez sem sucesso. Já estava gravida e fiquei com medo dela regredir quando a irmã nascesse e novamente adiei o desfralde esperando o momento dela.

O tempo foi passando e percebi que ela pulava tirando os dois pés do chão ao mesmo tempo. Certa vez li que esse é um dos sinais que a criança está preparada para o desfralde. 

Quando a irmã nasceu ela começou ficar incomodada quando fazia xixi, logo tirava a fralda. Quando ia colocar uma nova ela pedia calcinha. Atendi o desejo dela e comecei colocar calcinha nela durante o dia. Foram alguns escapes na cama, no sofá, no chão. Mas ela estava tentando ir no penico.
Foram 10 dias mais ou menos até ela conseguir segurar o xixi até chegar ao banheiro. O número dois não demorou. Num total de 15 dias ela já estava usando o penico certinho.

O desfralde noturno aconteceu naturalmente. Ela não queria usar a fralda a noite mas eu conversei com ela que tiraria a fralda da noite quando ela não fizesse mais xixi a noite. Cinco dias depois dessa conversa o desfralde noturno também chegou.

Dicas para desfralde:

1. Espere o momento do seu filho. Tentar iniciar o desfralde antes do tempo pode ser frustrante para você e para ele.
2. Não critique seu filho quando acontecer os escapes. Fale que é normal e leve ele para o banheiro mostrando onde é o lugar certo.
3. Seja exemplo. Leve seu filho junto com você ao banheiro. converse mostrando o lugar certo. Ensino-o a lavar as mãozinhas sempre.
4. Facilite a vida do seu filho. Desfralde não combina com macacões, calças, body ou nada que atrapalhe na hora do xixi.
5. Atenção mães de menina. Desde no início do desfralde ensine-a como se limpar corretamente.

Explique que ela precisa passar o papel sempre da frente para trás, da vagina para o bumbum, e não o contrário, principalmente quando faz cocô.


Se puder dar um conselho que vou seguir quando Elisa chegar nessa fase é: Paciência! Nada de pressa. Respeitar o tempo do seu filho fará o desfralde ser mais tranquilo.

Espero que minha experiência ajude vocês nessa fase.

Aguardo todos no próximo post!!!!
Leia Mais ››

Bolo de Cenoura Especial

Oi gente! Tudo bem com vocês? Espero que sim.

Os últimos meses foram bem difíceis. A chegadam de um bebê sempre muda a rotina da casa toda. Quando tem uma outra criança e tão novinha quanto Ester essa mudança fica ainda mais delicada. Junte a isso alergia alimentar. Tudo piora!!!

Para quem nos acompanha sabe que Ester é APLV e agora descobrimos algumas outras alergias alimentares como carne vermelha, manga, banana e o glúten.
A caçulinha também compartilha das mesmas alergias. Isso tem deixado meus dias e noites ainda mais tensas envolvidas em muitas cólicas e dores de estômago.
Mas como mãe sempre arruma forças do imaginável para cuidar dos seus filhos eu não seria diferente.

Tenho passado muito tempo na cozinha inventar, procurar, fazer e refazer receitas para variar o cardápio da família que tem sua base frango e arroz.

Aos poucos vou compartilhando aqui as receitas aprovadas.

Hoje quero compartilhar com vocês uma receita de bolo de cenoura sem glúten.

Bolo de Cenoura 


Ingredientes:

2 cenouras médias picadas ou raladas
2 xícaras de farinha de arroz
3 ovos (pode substituir pela baba da linhaça)
1 xícara de óleo
2 xícaras de açúcar
1 colher se sopa de fermento
1 pitada de sal


Modo de preparo:

Bata no liquidificador o óleo, ovos, açucar e cenoura.

Numa tijela junte a mistura a farinha de arroz, a pitada de sal e por último o fermento.

Leve ao forno pré aquecido a 180° por mais ou menos 30.

Dica: unte a forma com óleo e a farinha de arroz.
           
Fiz com ovo e com a baba da linhança e das duas formas ficaram muito saborosas.

Uma ótima opção para café da manhã ou lanchinho da tarde.

Espero que tenham gostado da receita e que façam para experimentar.

Aguardo todos nos próximos posts!
Leia Mais ››

Ser Mãe de Duas é

Oi gente! Tudo bem? Espero que sim.

Faz bastante tempo desde o último texto. Precisei de alguns meses para estabelecer uma nova rotina. As meninas tem tomado bastante meu tempo mas aos poucos volto com tudo.

Hoje quero compartilhar com vocês uma reflexão sobre como é ser mãe de duas. Texto recheado de experiência própria da mãe que vos fala.


Ser mãe de duas é...

Ser mãe de duas não é fácil nem nas fotos.
Uma olha para um lado enquanto a outra olha para câmera. A outra olha para para o chão enquanto a mãe limpa a baba de uma. E quando finalmente as duas olham para a câmera o cabelo da mãe tá bagunçado. Enquanto a mãe arruma o cabelo as duas olham para o chão. Mas vamos deixar assim mesmo porque as vinte tentativas anteriores ficaram piores.

Ser mãe de duas é deixar uma chorando enquanto dar banho na outra. É deixar a outra gritando "Mamãe acha eu!" enquanto dar o mamar a uma.

Ser mãe de duas é arrumar uma para sair enquanto a outra tira tudo do armário.
É arrumar a  outra enquanto uma tá fazendo aquela sujeira na roupa. Enquanto volta para limpar uma a outra arrancou o laço da cabeça.

Ser mãe de duas é viver em constante estado de alerta. Não pode piscar que uma está colocando algo na boca da outra. Não pode bobear que a outra puxa o cabelo de uma.

Ser mãe de duas é não saber mais o significado da palavra tempo. Pois ele passa tão rápido que ela só entende amanhecer e a anoitecer.

Ser mãe de duas é torcer para que o barulho de uma não acorde a outra e quando as duas dormem não saber o que fazer com esse tempo.

Ser mãe de duas é viver sempre em meio a brinquedos espalhados mas com o coração com amor dobrado.

Texto: Josi Gama

Espero que tenham gostado da minha reflexão e aguardo todos no próximo post.
Leia Mais ››

AMAmentação: Opinião de uma Mãe Real

Olá gente! Tudo bem com vocês?

Hoje quero falar para as mamães que assim como eu estão na fase de amamentação.

Amamentar não é tão fácil como nas propagandas de TV.


Vemos mães lindas e sublimes em suas poltronas amamentando um lindo bebê.
Mas, a realidade é bem diferente. Existe toda uma dificuldade inicial com a pega a insegurança sobre se o leite é forte. Além de suportar todos os palpites.

Amamentar na vida real nem sempre vai ser num ambiente calmo e milimetricamente pensado para esses momentos. Principalmente se seu bebê veio ao mundo através de uma cesariana. Nesse caso amamenta-se onde possamos sentir menos dor.

Por falar em dor. Essa irá nos acompanhar alguns dias. O bebê nasce com a necessidade de sugar e nem sempre a mãe terá leite para satisfazer sua fome. Mas para estimular a produção deve-se insistir em colocar o bebê no peito. Isso vai com o passar dos dias gerando uma sensibilidade quando não gera feridas (e como elas doem). 

Mesmo com dificuldades que possam aparecer não podemos desistir da amamentação. Cada gotinha de leite materno é uma dose de vacina e amor. Esse alimento além de possuir todos o nutrientes necessários para o bebê ainda tem poder calmante e analgésico.


Crianças amamentadas exclusivamente até os 6 meses no peito tem menos chances de adoecer e se acontecer irá curar mais rápido.

Lembre-se não existe leite fraco. Fraca é a mente daqueles que vivem para dar palpites na vida alheia.

Não desista e procure ajuda de banco de leite, especialistas em amamentação ou aquela amiga que está passando pela mesma fase que você. Importante é seguir em frente na decisão de amamentar e confiar em sua capacidade de suprir as necessidades do seu bebê.

Você sabia que além de todas as vantagens  para o bebê a amamentaçao ajuda as mamães?

- Reduz o peso mais rapidamente após o parto.
- Ajuda o útero a recuperar seu tamanho normal, diminuindo o risco de hemorragia de anemia após o parto.
- Reduz o risco de diabetes.
- Reduz o risco de câncer de mama e de ovário.
- Pode ser um método natural para evitar uma nova gravidez nos primeiros seis meses, desde que a mãe esteja amamentando exclusivamente (a criança não recebe nenhum outro alimento) e em livre demanda (dia e noite, sempre que o bebê quiser) e ainda não tenha menstruado.

Motivos não faltam para fazermos um esforço para amamentar nossos filhos até pelo menos os 6 meses recomendados.

Vamos oferecer amor em forma de líquido para nossos pequenos!

Espero que tenham gostado e aguardo todos no próximo post.


Leia Mais ››