Amamentação - Relato Pessoal



Olá povo lindo!

Quem me acompanha lá no instagram sabe toda dificuldade que tive para amamentar.

Quando engravidei orei muito para que tivesse leite pelo menos durante os seis primeiros meses. Sabia da importância do aleitamento materno exclusivo para bebês até essa idade.

Perguntei a minha mãe até quantos meses eu mamei. Ela disse que só teve leite durante três meses. Podem imaginar como me senti? Com um milhão de coisas na cabeça. Existe algo que eu possa fazer para me preparar para amamentar? Será que essa pouca produção de leite é de família? E se eu não conseguir amamentar?

Ester nasceu numa sexta, durante três longos dias saia apenas colostro dos meus seios. Os mamilos criaram bolhas de tanto ser sugado pela minha filha. Algumas pessoas me diziam que não conseguiria amamentar, que não deveria me iludir que eu não teria leite por muito tempo, indicavam formulas para eu oferecer no lugar do peito. Mas nada disso me desanimou, dizia que só deixaria de amamentar se algo muito sério me impedisse ou se as “tetas” caíssem.

No domingo quando chegamos em nossa casa enfim o leite apareceu. E não era pouco, vazava quase todo tempo. Enquanto ela mamava em um, o outro jorrava leite que molhava toda minha roupa.
Ester com três dias


Infelizmente essa alegria durou pouco. Quando ela completou dois meses parecia que não tinha tanto leite quanto no início. Me diziam que meu organismo estava se adaptando a necessidade da minha filha. Bem, eu tentava me conformar com isso. Como estava amamentando em livre demanda pensei que era exatamente o que acontecia. Meus seios só produziam o necessário para ela.

Enquanto estava indo nas consultas mensais com o pediatra e o ganho de peso estava dentro do limite esperado eu estava preocupada mas conformada.

Mas na consulta dos três meses ela não tinha ganhado peso suficiente. O pediatra sugeriu inserir formula para complementar. Eu fiquei arrasada. Mas não desisti de continuar com a amamentação exclusiva. Ela não tinha engordado o esperado mas não tinha ficado abaixo do peso. Isso me deu forças para procurar tudo que fosse solução para aumentar a produção de leite.

Comecei a pesquisar maneiras de aumentar a produção. Fui até ao banco de leite da cidade onde tive a infelicidade de encontrar alguém de mal com a vida que falou o seguinte: Se seu organismo não está produzindo leite o suficiente procura um pediatra para indicar formula. A prefeitura dá leite para quem não tem condições. Saí de lá com coração partido, chorei muito.

Sempre perguntava ao pediatra se tinha algum remédio que me ajudaria na produção de leite. Ele sempre falava que não. Porque não se tinha estudos que comprovassem os resultados.

Chorar era o que eu fazia toda vez que Ester queria mamar e eu não tinha leite do suficiente. Marido dizia que o leite estava secando de tanto que eu chorava. Li que estado emocional influencia muito na produção. Tentei me acalmar e procurar por conta própria uma solução. Não estava preparada para dar mamadeira a minha filha.

Achei umas dicas que me ajudaram bastante:
  • Muito liquido: O leite só poderá ser produzido se você ingerir muito líquido. O mínimo aqui são 2 litros de água, a recomendação é que seja em torno de 4 litros. Eu tomava muita água, muito chá, muito suco e muita água de coco.
  • Descanso: Diminuir o nível de estresse é fundamental para aumentar produção de leite. O estresse por si só é capaz de diminuir drasticamente a produção de leite, por isso não deixe que ele faça isso!
  • Cana de açúcar: Entra no item liquido mas com uma vantagem, é doce. Tomei tanto caldo de cana, chupei cana até minha boca ficar cheia de machucado. 
  • Canjica: Receita antiga mas que para mim ajudou muito. No meu caso fiz com leite sem lactose. Ficou tão bom quanto a leite com leite comum.
  • Banho morno: Meu desespero era tanto que meus banhos eram quentes, praticamente escaldante. Detalhe importante, não gosto de banho quente.
Quando voltei na consulta de quatro meses minha filha tinha engordado menos do que esperava. Aí não teve jeito e tive que inserir fórmula.

Mas decidi que não iria deixar de amamentar. Já se foram 13 meses de amamentação e pretendo continuar até quando ela quiser (marido fala que Ester vai debutar mamando)

Se não fosse o apoio do marido e a ajuda da minha mãe provavelmente teria desistido na primeira dificuldade. Não tenho palavras para agradecer todo incentivo que me deram.

Espero que esse meu relato ajude aquelas mamães que querem amamentar seus bebês. Não é fácil, mas vale a pena cada esforço.

Nos siga nas redes sociais:
Facebook
Instagram

6 comentários:

  1. Sempre valerá a pena. Lindo seu relato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale muito a pena.

      Obrigada pela visita minha querida.

      Beijos

      Excluir
  2. Sempre valerá a pena. Lindo seu relato

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Poxa, fiquei triste lendo sua história mas deve ter sido bem triste mesmo você quer amamentar e não ter leite suficiente. Mesmo que tenha amamentado pouco você pode sentir a sensação de poder alimentar sua filhinha e como dizem essa é uma das melhores sensações de ser mãe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amamentar é sim a melhor das experiências da maternidade. Uma pena algumas mulheres não conseguirem.

      Obrigada pela visita.

      Beijos

      Excluir