Entendendo a Crise do Crescimento

Olá povo lindo!


Sabe quando seu filho muda de comportamento da noite para o dia? Ele dormia a noite e como passe de mágica começou acordar de 10 em 10 minutos ou ainda ele comia de tudo e agora detesta qualquer tipo de comida. Você já sabe o que fazer com tanta mudança de comportamento? Pois vou dizer o que pode está acontecendo. A chamada Crise do Crescimento chegou na sua casa. 

Quando Ester era menor as mudanças de comportamento eram drásticas. De uma hora para outra ela mudava. Ficava chorosa, não queria comer, não dormia, só queria colo. Foi então que fui pesquisar o que poderia ser. Achei vários textos mas esse foi o que consegui entender melhor.


Seu filho enfrenta problemas para dormir, se alimenta mal e anda agitado? Calma. Pode ser que ele esteja apenas atravessando uma crise comum à fase em que se encontra.

1º Trimestre
Durante o primeiro trimestre de vida é o que se chama de período simbiótico. “Para a criança, mãe e filho fossem uma única pessoa.
A partir dos 3 meses, o bebê passa a olhar no olho da mãe, começa a se divertir, imita alguns gestos. Entende que precisa chamá-la para ter o que necessita – leite, colo ou fraldas limpas. Nessa hora, bate a ansiedade.
Essa crise tem como sintomas: o bebê não quer mais mamar, acorda várias vezes chorando, fica agitado sem motivo.
Dura em torno de 15 dias. Quando a criança atravessa uma crise, é muito importante que ela não seja medicada.

2º Trimestre

Por volta do sexto mês de vida, o bebê, que já conhece a mãe, começa a reconhecer a figura do pai, dando início à formação do triângulo – e da crise.
“A criança tem um pouquinho de transtorno do sono, e o apetite diminui um pouco”, diz o pediatra Leonardo Posternak, de São Paulo.
Com 6 meses, nascem os primeiros dentinhos. Essa etapa se confunde com a crise.

3º Trimestre
Essa é a maior e mais complicada das crises. Embora seja incomum, algumas crianças começam a dar sinais da crise com 6 ou 7 meses. Outras mostram sintomas de angústia com 9 meses. Mas na maioria dos casos isso acontece mesmo no oitavo mês.
Os sintomas são Basicamente os mesmos das outras crises: alteração do sono, perda de apetite e agitação. O sono é o que mais perturba. Além disso, a criança come muito mal, pior do que nas outras fases. E às vezes faz até pequenas greves de fome. A criança pode chegar a acordar 15 vezes durante a noite, desperta muito assustada, com um choro intenso. Alguns pais ficam tão assustados que pensam que a criança caiu do berço porque é um choro diferente, desesperado.
Demora um pouco mais que as outras: três ou quatro semanas.
Nessa fase, quando a criança chora de madrugada, é a mãe quem deve atender. É oportuno que não ocorram trocas dos cuidadores, o bebê pode reagir à presença de estranhos, chorando ou estranhando o colo.
Nesse período de angústia, a criança começa a se apegar a algum objeto: pode ser um paninho, uma chupeta específica, um brinquedo.
Os pais não precisam se preocupar em estimular a escolha, que é feita naturalmente pelo bebê. “É importante que o objeto resista às agressões da criança e que ela mesma o reconstrua. A mãe não deve lavá-lo nem tentar consertá-lo”, explica Ana Paula Cargnelutti Venturini, mestre em psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.


Fonte: Bebe.com.br

Só tenho uma coisa para dizer depois que passei por todas essas mudanças. Tudo passa e aprendemos muito, além de poder compartilhar experiências com outros pais que estão na mesma situação.

Espero que tenham gostado e que esse texto os ajude.

Aguardo todos vocês no próximo post.

Nos siga também nas redes sociais

Facebook: Agora Somos Pais
Instagram: @agorasomospais

6 comentários:

  1. Essas fases essas fases! É muita coisa acontecendo com os pequenos, informações que vão ajudar muitas mamães com certeza!

    ResponderExcluir
  2. Tudo é aprendizado né! Para nós e para eles.
    Ótimo texto.
    Beijos, www.blogbabylo.com

    ResponderExcluir
  3. Toda fase é um aprendizado e uma oportunidade da gente surtar um pouquinho rrsrrs mas todas são maravilhosas.

    ResponderExcluir
  4. Toda fase é um aprendizado e uma oportunidade da gente surtar um pouquinho rrsrrs mas todas são maravilhosas.

    ResponderExcluir
  5. Adorei o post Josi! Devia ter manual para cada fase!!
    Bjs Tania

    ResponderExcluir
  6. Adorei o post aprendemos muito em cada fase do bebe.
    Beijos
    Mari
    Vamos MAMAES

    ResponderExcluir