Dá-me Filhos se não Morro

Olá mamães e papais! Tudo bem com vocês?

Hoje vou contar um pouco da minha trajetória para me tornar mãe.

Quando me casei tinha medo de ter filho. Não do parto mas de tudo que viria com a chegada de um bebê. A mudança na rotina, a preocupação quando fica doente, educação e tudo que todo mundo já sabe que uma criança trás para uma família.


Mas depois de dois anos de casada, já tinha casa própria, um trabalho. Pareceu que um botão da maternidade foi ligado no meu cérebro. Eu sentia um desejo enorme de ser mãe. Quando via uma grávida na rua me imaginava no lugar dela. Quando via uma mãe com seu bebê no colo me imaginava no lugar dela. Quando via uma criança brincando só imaginava que poderia ser um filho meu.

O tempo foi passando o desejo aumentando até que decidi engravidar. Comecei tomar as vitaminas necessárias, fiz todos os exames e parei com o anticoncepcional. Para minha feliz surpresa um mês depois já tinha um serzinho crescendo em meu ventre. Tão pequeno e já tão amado. Não via a hora de fazer ultrassom para ouvir seu coraçãozinho. Mas, Deus tinha decidido que essa não era minha hora de ser mãe. Perdi meu pequeno e tão amado anjinho I. A tristeza me abateu e me perguntava todos os dias: Por que eu? Logo eu que queria tanto ser mãe não consegui gerar. Como podia eu ter perdido meu bebezinho. Oito meses depois eu tinha outro positivo. Que alivio! Deus teve misericórdia de mim e me deu outro anjinho para gerar. Um misto de felicidade e medo tomou conta do meu coração. O medo era tanto que não contamos para ninguém até completar 3 meses de gestação. Que felicidade de todos quando viram que depois de uma perda eu estava gerando outra vida. Mas, não era dessa vez que Deus permitiria que meu maior desejo se realizasse. O anjinho II foi para o céu ficar com seu irmãozinho. Meu coraçao despedaçou como um vidro. Fiquei sem chão. Minha vontade era abrir um buraco e me enfiar. Se não bastasse toda minha dor sentir os olhares das pessoas achando que a culpa foi minha, que Deus estava me dando sinal de que não deveria ser mãe me deixam cada vez pior. Lágrimas faziam parte dos meus dias, das minhas noites, das minhas semanas. Orei tanto pedindo orientação a Deus para saber se realmente Ele não queria que eu fosse mãe. Lembrava do texto onde fala que para tudo tem um tempo (Eclesiastes 3:1). Lia e relia o texto que dá título a esse relato. Dá-me filhos, se não morro, Raquel enciumada por sua irmã dava filhos para seu marido falou isso num momento de desespero. E como eu falei isso. Sabia que a culpa não era de Deus. Talvez minha pouca fé não me vizesse ver que o tempo de Deus iria chegar.

E chegou! Agosto de 2014 esse foi o mês que começou minha felicidade. Gerar uma menina, minha Ester (nome escolhido desde antes dela existir), q princesa que faria meus dias completos. Como Deus poderia ser tão generoso? Isso me perguntava. Esqueci toda dor que passei? Jamais. Elas serviram para que quando a benção chegasse eu aproveitasse como devia. Eu amei toda a gravidez, eu amei todo o pós parto (mesmo que tenha sido dolorido), eu amei e amo cada momento que passo com minha pequena.

E hoje? Hoje escrevo esse texto enquanto minha pequena está dormindo do meu lado e o baby II (ainda não sei se é menino ou menina) chuta minha barriga. Mais uma benção dos céus para mostrar para mim e para o mundo que Deus é perfeito e tudo que ele faz tem um propósito.

Se você ainda não conseguiu seu milagre não perca a fé. Deus está vendo suas lutas e te abençoará de uma forma tão esplêndida que você nem vai acreditar.
Confie em mim! Sou prova disso. Minha família é prova disso.

Espero que meu relato traga a esperança necessária para que você não desista de seu sonho. 

Aguardo todos no próximo post!

Nos siga nas redes sociais

Facebook: Agora Somos Pais
Instagram: @agorasomospais

10 comentários:

  1. Que bom que você conseguiu ser mamãe! A gente sempre da mais valor pra vida depois que passamos por momentos assim né!? Vai entender, tudo serve como aprendizado... O botão da maternidade já foi ligado no meu cérebro rs, agora só falta ter condição financeira. Parabéns pelos filhotes!

    Beijinhos <3 Blog Tanamoda / Grupo MBB / Natura Online

    ResponderExcluir
  2. que história de bonita. Parabéns pela família. Com fé tudo se resolve. O tempo nos ajuda a superar e esperar.

    ResponderExcluir
  3. Como Deus é maravilhoso e tudo acontece na hora certa não é mesmo? Lindo relato para acolher mulheres que passam por uma situação parecida neste momento de suas vidas.

    ResponderExcluir
  4. Ai amiga chorei com a sua história :( Eu sei o que vocÊ passou pelo que você me fala e sei que não deve ter sido fácil, mas Ester tá ai para provar que você nasceu pra ser mãe, além desse Baby II que só veio para te alegrar!

    ResponderExcluir
  5. Que história, com fé as coisas se ajeitam, parabéns pelos dois bebês!

    ResponderExcluir
  6. A fé é fundamental sempre. Que linda e emocionante a sua história.
    beijos
    Chris

    ResponderExcluir
  7. Eu sempre quis ter filhos mais que o meu marido. Mas acho que tivemos maturidade suficiente para escolher o momento certo e hoje temos duas princesas lindas.

    ResponderExcluir
  8. Que história linda!!!! Parabéns pela sua família e ela é a prova de que Deus sabe SEMPRE o que é melhor para nós e a hora certa de tudo, por isso temos que acreditar e confiar Nele. Beijos Regina

    ResponderExcluir
  9. Adorei conhecer um pouco da sua história!! Com fé a gente sempre chega lá!! Ah esse nome Ester é lindo, nome da minha mãe!!

    ResponderExcluir
  10. Oi Josi
    Que bonita sua história de vida. A Fé é o que nos sustenta e nos dá forças.
    Parabéns pela linda família
    Bjs

    ResponderExcluir