Adolescência do Bebê: A crise dos 2 anos

Olá mamães e papais! Tudo bem com vocês?

Como alguns de vocês sabem nossa primogênita completou dois anos. Antes mesmo de chegar esse número tão temido pelas mães eu pesquisei bastante sobre a Adolescência do Bebê ou Terrible Two para estar preparada, grande engano meu, quando essa fase chegasse por aqui.


Ester sempre foi uma criança obediente. Não vou dizer calma porque os vizinho vão me desmentir na hora. Mas tirando algumas crises de choros na hora do banho conseguia lidar com ela de forma tranquila. Até os dois anos chegarem. Parece que ligaram o botão da birra na minha filha. Por absolutamente tudo existe um escândalo, ora maior ora menor, mas não deixa de existir.

Em alguns momentos queria gritar junto com ela tamanho meu desespero. São gritos, lágrimas e muita reclamação. Minha filha não virou um monstro, embora por alguns momentos ache isso. Simplesmente está crescendo e não sabe lidar com o mundo a sua volta.

Deixou de ser bebê onde eu era responsável por identificar suas necessidades, para ela mesma pedir o que quer na hora que quer. Independência que vez ou outra gera atrito entre nossos interesses. Comer biscoito antes do almoço é motivo para uma crise de birra.

Eu tento ficar calma e explicar meus motivos para negar o objeto de desejo dela. Funciona? Algumas poucas vezes. Na maioria gera mais gritos. Mas sou uma mãe brasileira e não desisto nunca!

O que dizem os especialistas?

“Os pais precisam ter paciência, porque é neste momento que começa o processo de educação. Ensinar o que pode ou não, o que é certo ou errado. Isso demanda tempo para a criança assimilar e botar em prática. Não é de um dia para o outro que ela vai saber que jogar comida no chão, por exemplo, é errado. Ela aprende pela repetição. Gritar ou fazer birras é um jeito de o bebê demonstrar insatisfação. Afinal, é uma criança em processo de desenvolvimento, que mal fala e anda”, explica a pediatra comportamental Ana Lucia Balbino Peixoto. Fonte; Dr Drauzio Varella

Nem toda criança passa pelo período com este padrão de comportamento, embora todas estejam sujeitas, uma vez que a crise está associada ao desenvolvimento normal da criança. “É importante sublinhar que, neste mesmo período, algumas mudanças importantes estão ocorrendo, como um abrupto desenvolvimento cerebral. Por consequência, o aumento considerável na competência linguística, na organização do pensamento e na capacidade de exploração do mundo trazem uma percepção de autonomia e independência para tomar decisões ao seu modo”, explica Anne. Fonte: Guia do Bebê

Como agir?

Não é fácil enfrentar crises de choros, esperneios e muitos gritos em casa muito menos em ambientes públicos. Uma dica é se antecipar as crises do seu filho. Sei que não é fácil prever quando seu filhos vai ter uma crise de birra. Mas alguns fatores podem desencadear como passar da hora de dormir, fome, ambiente novo, cobranças. Tudo isso pode deixar seu filho irritado e acabar dando aquele show onde e na hora indevida.

Mas se em todo caso não conseguir evitar vamos para algumas dicas:

1º Jamais ceda a chantagem: Se você der o que seu filhos quer ele vai entender que aquela forma é a mais correta para conseguir o que deseja.

2º Converse antes: Antes de sair de casa deixe seu filho ciente de onde vão e o que irão fazer. Isso já vai deixar seu filho preparado, ou mais ou menos, para o que vai acontecer.

3º Converse durante: A conversa antes de sair de casa não surtiu efeito e ele seu filho está fazendo aquela birra de envergonhar toda humanidade? Abaixe, fique na altura do olhos dele e pergunte o que quer. Seja firme! Caso ele continue gritando se afaste.

4º Converse depois: Com carinho explique que o ele fez é errado e desnecessário. Sei que nessa fase o entendimento é limitado. Mas uma hora vamos ter resultado. Tenho fé!

Esse texto faz parte da Blogagem Coletiva Materinsta para conhecer os textos dos blogs participantes basta acessas os links abaixo:

Tati - @blogtripbaby

Val - @mamafante

Jaque @maes.apaixonadas

Giuliana - @blogmoms2moms

Claudia - @maeliteratura

Barbara @maespecialista 

5 comentários:

  1. Essa fase é muito complicada mesmo. O único consolo é que passa e teremos outras fases rsrsrs

    ResponderExcluir
  2. Essas fases que nunca terminam!! Haha o mais importante ao meu ver é nunca ceder ao desejo deles mesmo que haja um escândalo sem precedentes! Uma vez que eles verem que podem ganhar a gente no cansaço vão sempre usar a mesma tática!

    ResponderExcluir
  3. Oi querida
    Esta é uma das fases da criança...rs
    Passa e vem uma nova, com dificuldade e facilidades e isso é o mais bacana.
    Muito legal seu post, adorei
    Bjks mil

    ResponderExcluir
  4. O fase difícil , eu a enfrento em dose dupla.É conversa e muita conversa sempre e não desistir ou ceder a esses caprichos.

    bjs

    ResponderExcluir
  5. Olha amiga essa fase eu não passei não, meus filhos sempre foram muito tranquilos quando crianças, inclusive na adolescência mesmo da minha filha, agora vamos ver como será com o Nick que esta com 12 anos. Deus me guie! Adorei o texto, bjokas

    ResponderExcluir